Na Cozinha da Julia

            Alguém pode até imaginar que estive passeando por uma dessas fabulosas lojas “vintage”, de decoração de cozinhas americanas… Mas na realidade, eu encontrei essa bela cozinha dentro de um grande e famoso museu , o Smithsonian  de História Americana, por ocasião da nossa viagem à Washington.

            Outras pessoas podem até estranhar… O que leva um brasileiro a se interessar por um museu desses? Não é coisa de “gringo”? (Rs…)

              Mas sabe,  lá podemos encontrar surpresas… O Museu de História Americana vale totalmente a sua visita…  Foi lá que  nos encantamos com o seu maravilhoso acervo,com os cuidados e a beleza das exposições.  E  basta alguns minutos lá dentro, pra você descobrir que o mundo é muito pequeno e que existe muito mais em comum  entre a cultura americana e a brasileira do que possa imaginar a nossa vã pretensão patriótica…Até porque, depois de assistir a tantos filmes de Hollywood, impossível você não se emocionar e olhar pra tudo com aquele velho olhar familiar… Estão lá as carruagens do velho oeste, os carros usados naqueles filmes antigos que passavam na sessão da tarde,  a locomotiva que você jura que foi usada no filme do zorro! Também estão lá os vestidos de gala usados pelas primeiras damas norte-americanas que você já viu na revista ou na TV, as primeiras lâmpadas feitas pela equipe de Thomas Edson, ou simplesmente,como já mostrei no post anterior, a capa de um disco do Elvis Presley!

            Mas também foi lá que encontrei essa incrível cozinha de uma lenda americana , a cozinha da genuína e espontânea Julia Child.

            Desconhecida para a grande maioria dos brasileiros, a estória da Julia se tornou famosa por aqui, depois do filme  “Julie e Julia”, da diretora Nora Ephron.  O filme foi baseado no best seller do mesmo nome, escrito por Julie Powell, estrelado por Merryl Streep no papel de Julia. E pra quem ainda não assistiu, a estória se baseia em fatos verídicos da vida da simpática chef de cozinha Julia Child  e  conta como ela serviu de inspiração para a blogueira Julie mudar o rumo de sua própria estória… Vale à pena conferir!

            Mas afinal, quem foi Julia Child?

             Bom gente, quem é um pouquinho mais velho,deve se lembrar da “Cozinha da Ofélia”… Aquela senhora que ensinava a arte culinária na televisão brasileira.  É claro que naquele tempo, os programas culinários não recebiam tanto prestígio e glamour como os dos dias de hoje e nem tinham aquela organização e estética dos programas atuais,como por exemplo, o da Ana Maria Braga… Mas tinham aquele jeitinho mais espontâneo e retrô de ser!

             Pois é, resumindo, a Julia Child foi ,na verdade, uma das precursoras desses programas na televisão americana. E  que depois se tornaram tão populares ultimamente aqui no nosso Brasil.  Foi com o seu programa  “The French Chef Series”,iniciado em 1962, que ela  ensinava as donas de casas americanas a redescobrir o prazer de cozinhar através da culinária francesa.

             Com o seu jeitinho autêntico e simpático de ser, Julia Child acabou ganhando os corações dos seus telespectadores… Era realmente apaixonada pela cozinha, dom que só descobriu realmente,quando foi morar na França por alguns anos, com o seu marido,o também norte-americano Paul Child. O casal se apaixonou na época pela culinária francesa e o encanto foi tanto, que Julia até acabou estudando numa Escola de Culinária Francesa famosa na época, a ” Cordon Bleu”. Para isso, ela teve de enfrentar o desafio de ser a única mulher naquele tempo, a frequentar as aulas… Imagine a situação! E a sua dedicação e empenho foram tão grandes, que aquele fechado clube masculino  de chefs franceses acabaram reconhecendo o valor  dessa determinada mulher.

     Foto da Julia Child da cozinha de sua casa na França  ( o casal viveu lá entre 1948 e 1952)

            Mas a estória da fama americana de Julia se iniciou à partir da publicação de seu primeiro e famoso livro:”Mastering the art of French Cooking”  ( “Dominando a arte da cozinha francesa”) ,em 1961. Neste livro, impressionante para a época, Julia  adaptou as receitas francesas de forma à torná-las mais fáceis para as donas de casas americanas. Depois do sucesso desse livro, vieram muitos outros… E Julia Child ficou sem dúvida, na memória daquele tempo e do seu povo…

             E como a sua  cozinha inteira foi parar no museu?

             Bom, poucos anos de antes de falecer, já com quase 90 anos de idade, Julia resolveu doar a sua cozinha de sua casa em Cambridge, para o museu e retornou para a sua terra de origem,na Califórnia.

     A exposição da cozinha da Julia está aberta ao público desde 2002. Nela estão cerca de 1200 artefatos, incluindo tudo o que havia nos armários e nas gavetas da cozinha original.

     Observem a incrível coleção de facas, tesouras e outros utensílios culinários… E a grande batedeira de cor violeta!

   Outra visão  mais ampla, em que aparece a mesa e os armários…Algumas fotos estão um pouco alteradas,devido ao efeito das paredes de vidro que protegem a cozinha ( é claro que não é permitido entrar lá ou tocar em qualquer um dos objetos).

   Reparem também na coleção de panelas e frigideiras na parede.Algumas delas compradas na França. O próprio  marido de Julia mapeou e desenhou o lugar de cada panela na parede,para facilitar os seus repectivos usos .

   O outro lado da cozinha… Mais panelas e utensílios pendurados e acessíveis à mão da chef!

   E finalmente, a pequena estante dos livros de culinária da Julia…

    Um outro detalhe interessante: Toda a cozinha foi adaptada para facilitar os movimentos e postura da Julia, pois ela era uma mulher muito alta.

            E mesmo sabendo que  Julia Child ainda é um nome estranho para muitos brasileiros, fiquei emocionada quando estive lá bem pertinho da sua encantadora e mágica cozinha.

            E depois de passar um bocado de tempo tirando fotos e assistindo aos antigos vídeos dessa senhora, apaixonada pela arte de cozinhar, me lembrei de uma pessoa daqui do nosso Brasil e que também é apaixonada por sua cozinha… Da minha amiga e grande blogueira Laély!  Foi através do blog dela,o “Sala da Lá”, que eu descobri a Julia Child … Ela havia feito um excelente post sobre o filme “Julie e Julia”,onde ela contava a pequena trajetória da estória da Julia e sua cozinha.  Parei pra pensar e fiquei admirada com a maravilhosa cadeia de conhecimentos que são compartilhados conosco através do mundo dos blogs! E pensando nisso, é para a Laély, e seu incrível e inteligente blog “Sala da Lá” que dedico esse meu singelo post de hoje. Isso em parte também é uma pequena homenagem minha pra ela, que foi a primeira pessoa que tive o prazer de conhecer na blogosfera… E  vai com os meus parabéns pelo recente segundo aniversário do seu blog!

                  E dedico também este post à todas as “Julias” espalhadas por este mundo , que ousam de vez em quando quebrar a sua rotina, e fazem da sua cozinha uma fonte de prazer constante, criando receitas , compartilhando alimento e alegria de viver!

         E como diria a própria Julia Child…

                                 ” Bon Appétit !!!! “

Anúncios

10 comentários em “Na Cozinha da Julia

  1. Adorei essa postagem. Uma cozinha muito simpática! As caçarolas … E tudo num brilho que dá a impressão da cozinha ser novinha. somente olhando bem os detalhes é que dá para perceber as antiguidades. Obrigada por compartilhar conosco!

  2. Oi Teresa! Eu vi esse filme com áudio em italiano, acredita? Um dia desses compro o livro, deve ser bom.
    Quanto às orquídeas, aquele adubo não pode ser usado com sol forte – mas você deve saber disso. Aqui tem chovido todos os dias, então não consigo adubar as orquídeas há um tempão, coitadinhas…
    Histórias de casamentos? Fica me devendo!
    Bjs e bom final de semana!

  3. Adorei ler teus post sobre Julia ! Adorei o filme ! Acredito q a cozinha é um ponto de encontro , troca de idéias e não apenas um local para preparar refeições . Olhei com cuidado cada foto e fiquei encantada com os detalhes . Abraços

  4. Oi Teresa,

    No inverno do ano passado, eu vi todos os filmes possíveis para preencher o meus dias frios. Um deles, foi Julie&Julia.
    E foi a Julie que me deu o primeiro incentivo para fazer um blog. Depois foi a Virginia, Arte Livre Vimaje, que é minha amiga há muitos anos, que me deu o último empurrão.
    Foi a melhor decisão que tomei nos últimos tempos.
    Amei o filme e ri muito, principalmente quando ela estava aprendendo a cortar cebolas e treinava em casa. Aprendi com a perseverança dela e muito mais.
    O fato dela encarar o aprendizado, mesmo sem dominar o idioma . O mesmo aconteceu comigo aqui.kkkkkk Mas estava lá ia eu, com meu pobre “English”.rsrs
    Você foi privilegiada em poder visitar esse museu, que é um encanto.
    Obrigada por dividir conosco, essa preciosa estória.
    Ahh eu não estava em casa, cheguei há poucos minutos, já li o seu email e fiquei muito feliz por ter me respondido. Vou lhe retornar em breve.
    Beijos

  5. Mostrei a cozinha da Julia num post mais antigo.
    Fiquei apaixonada pela história dela, depois do livro e filme; o casal era muito fofo, não é?
    Então, obrigada por dividir com essa outra “julia”, tantos detalhes da cozinha da Julia.
    Abraço!

  6. ola só agora e que tive conhecimento do trabalho desta senhora através de um filme e fiquei curiosíssima mas por incrível que pareça não encontro o livro depois de tanto procurar dei com esta pagina e embora as datas sejam de 2011 arrisquei em deixar esta mensagem na esperança que me dêem uma resposta o que agradeço desde já abraços

Deixe aqui o teu comentário... Vou adorar! E muito obrigada pela tua gentil companhia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: