Estórias de Papagaio

            Nessa semana , estava observando a entrada do portão de nossa casa, e lembrei-me de um episódio engraçado… Uma breve estória de papagaio que aconteceu bem ali no portão…

            A manhã estava bem iluminada, e ao caminhar em direção a entrada da casa, notei que havia alguma coisa difernte bem emcima do nosso portão… Fui me aproximando bem devagarinho, e qual não foi a minha surpresa  quando descobri que havia um pequeno papagaio bem  ali empoleirado!

            Fui voltando pra casa, sem fazer nenhum ruído…Pensei logo, tenho que registrar isso… E tratei de buscar a máquina fotográfica.

            O difícil foi manter as outras pessoas da família sem fazer muito barulho! Afinal, nessa altura do campeonato, já tinha o restante da família corrido pra ver o novo “visitante”. Era um domingo e a casa estava cheia de gente!

            Fui descendo as escadas devagar e com gestos contidos  pra não espantar essa ilustre visita! E fui fotografando a sequência…

            Mas adivinhem só quem apareceu para conferir o episódio?  Ele mesmo… o nosso cachorro “Samurai” ! E ele foi tratando( sem muitas boas maneiras)  de tentar pegar  o pobre papagaio! O engraçado é que ele ficava espreitando a assustada ave de um lado do portão e ela ia deslizando as suas patinhas pro lado oposto! E ficaram alguns minutos nesse estranho “pega-pega”…O papagaio indo de um lado para o outro, procurando escapar do focinho do nosso cachorro…

         Viram a carinha curiosa do Samurai bem no cantinho da foto? A gente se lembra logo daquela estorinha do desenho antigo do Piu-Piu e Frajola… Imaginei o papagaio muito desconfiado das verdadeiras intenções daquele grande focinho… ” Acho que vi um cachorrinho! ” , deve ter pensado o pobrezinho…( Rs… )

            Daí se iniciou aquela discussão  sobre o destino do visitante verdinho… Seria melhor pegá-lo logo ou tentar chamar alguém de fora para procurar o seu dono? Na certa ele devia pertencer à alguem aqui da rua… Seria melhor alguém subir e ir telefonar para algum vizinho?

            Mas não sei se o papagaio acabou se assustando , com os humanos barulhentos ou com o cachorro intrometido… Mas o fato é que tão repentinamente como apareceu, ele simplesmente bateu suas asinhas e foi voando pro outro lado da rua!

            E acabou pousando bem perto de um rapaz que estava passando… O papagaio começou a falar alguma coisa, e o moço foi logo dizendo que aquele era o papagaio da dona Teresa!  

          Mas coincidências à parte, é claro que essa Teresa não era eu…  E aliviados  da pequena confusão, nos despedimos de longe do bichinho falante , que foi prontamente devolvido à sua verdadeira dona. 

            Mas passado tanto tempo dessa estória… Me vejo envolvida em outra parecida, essa semana mesmo!

           Estava tomando o meu café da manhã , ainda meio sonolenta pra vida, e me liga a filha da minha amiga e vizinha : ” Dá pra você vir aqui agora?  Tem um papagaio na nossa cozinha! Ele entrou pela janela e está fazendo muito barulhos… Será que ele dá bicadas?  Dá pra você pegar ele pra gente? ”  E lá fui eu ( a bióloga de plantão,né?  Rs… ) resgatar aquela ave intrusa, que aparentemente  estava fazendo confusão na cozinha da vizinha… E imagine só, a minha sogra fez questão de me acompanhar… Ela foi dizendo que era pra me dar uma ajudinha com o tal papagaio bagunceiro!

            Mal chegamos no local, vinha logo uma outra surpresa… Empoleiradinha sobre a pia da cozinha, estava uma pequena ave verde, que assustada olhava para os seres humanos ,mais assustados do que ela, ao redor! E… Aparentemente não era um papagaio!  Pensei na hora que se tratava de um filhote de maritaca, muito comum pelas nossas redondezas… Mas sinceramente, ficamos todos na dúvida…

          E a minha sogra, sem esperar eu dizer alguma coisa, mais que depressa, pegou um pano que estava sobre a mesa e com ele foi logo pegando o bichinho indefeso…Todos ficamos pasmos com a reação pacífica daquela bela ave…Ela não gritou e nem esperneou… Parecia assustada, mas ao mesmo tempo tão serena…  E depois de mil agradecimentos pelo ” ato heróico” ( Rs…), lá fomos nós… Eu, a minha sogra e a “maritaca” de volta pra casa! 

           Sempre disse para o meu marido e filhos, que não gosto de criar aves em gaiolas… De fato, nunca enveredamos por esse caminho de viveiros e periquitos. Mas dessa vez foi diferente…Fiquei com medo de soltar aquela frágil avezinha ao sabor de seu destino…Até porque, tenho visto ultimamente gaviões perto de nossa casa. Daí pensei, vamos guardá-la  num pequeno viveiro que temos aqui ( ganhei este viveiro antigo e o tenho guardado unicamente para fins decorativos…Pensei em colocar vasos de plantas nele…)!

            Ainda não sabemos direito se a avezinha bonita é uma maritaca ou não… Não tenho muita experiência com o mundo das aves ! Mas coloco a foto que tirei dela aqui, pra quem sabe, alguém puder me ajudar a descobrir…

            Seja como for, apesar de não gostar nadinha de ter um bichinho assim engaiolado, estaremos cuidando da nossa pequena “maritaca” até decidirmos o que for melhor para ela… Mas devo dizer, que apesar de tão pouco tempo conosco, a avezinha verde já nos conquistou… Ela é muito dócil e adora um cafuné! Faz aqueles barulhinhos engraçados e parece que quer conversar conosco! Ai,ai… Será que esse é o início de uma grande paixão pelas aves?  Sei não… Os sintomas já são muitos…Inclusive, (pasmem!) já estou até pensando em criar umas galinhas! (Rs…) 

           Enquanto isso, lá do seu poleiro mágico, o nosso tucano de madeira assiste tudo isso com um certo ar de superioridade… Será que ele está enciumado? ( Rs… )  Mas calma meu tucano amado!  São apenas algumas estórias de papagaios…

Anúncios

7 comentários em “Estórias de Papagaio

  1. Querida amiga, estas avezinhas são um encanto e adorei ler sobre elas. Fico imaginando a alegria de estar em contato com elas… Por aqui passam bandos de maritacas e alguns papagaios vindos de uma antiga pedreira, pousam nas amendoeiras da rua fazendo o maior barulho e depois vão embora… Quem me dera se elas resolvessem dar uma paradinha no meu jardim!
    Beijinhos.

  2. Oi Teresa!!! Que deícia de cantinho ai no Rio de Janeiro…quando vc passa pelo portão está em outro mundo…no seu mundo…aqui em casa temos maritacas que aparecem no início da manhã e à tardezinha…os bandos são grandes principalmente na época que temos noz pecã (maio/junho)…apareça mais para conversar…
    bjs, Cris

  3. Olá!
    Já estive por aqui várias vezes, mas acho complicado fazer comentários porque há muito o que se preencher nesse formulário de identificação. Bom, hoje não poderia deixar de lhe dar parabéns pelo conto e também de dizer que essas avezinhas sempre me acompanharam desde a infância. Meus pais até dois anos atrás sempre tiveram um ou mais papagaios em casa. São adoráveis. Abraços.
    Bernadete.

  4. Oi Teresa,
    adorei as histórias do papagaio e da maritaca!
    E sua casa que linda!Parece ser um lugar bem gostoso!
    Novidades: O sabiá voltou p o ninho e ta chocando de novo?
    Dra bióloga:
    Será que é o mesmo?
    Eles usam ninhos desocupados?
    Estou querendo adotar 2 gatinhos e tenho uma poodle de 8 anos.
    Será que eles irão se dar bem?
    Consulta on line!!!rsrsrs
    bjs

  5. Teresa, hoje ainda falei com uma amiga sobre o episódio de uma caturrita que apareceu aqui e ela acabou levando pra casa. Ficaram com peninha dela, lhe arranjaram um companheiro e, increditável, em questão de pouco tempo eram mais 40! na gaiola que virou viveiro. Então, quando vi a tua criaturinha, logo lembrei da superpopulação dos amigos e também das maritacas que fizeram ninho no nosso pinheiro e fazem uma festa das boas todas as manhãs cedinho. Imagino que Samurai deva estar bem desconfiado com essa movimentação estranha. (rs) Querida, adorei o post do extraordinário morador da casa da árvore. Também vi o documentário e jamais esqueci, tamanha beleza do trabalho e da proposta. Infinitamente inspirador, né? Beijos coloridos, uma ótima semana curtinha

  6. Oi,
    Tudo bem?Estou com muitas saudades de todos vocês. Hoje estava lendo seus textos, e não sabia que tinha uma tia escritora e fotógrafa, adoro ver as fotos, pois elas me consolam com a grande vontade de estar aí.
    Gostei das “Estorias de Papagaio”, principalmente quando você fala que quer criar galinhas, pois já é um caso a pensar em vocês virem morar aqui em Goiânia, porque aqui tem várias chácaras belas para criação de aves.
    Beijos
    Saudades………….

  7. Cachorro é atrevido ne rs, a minha cadelinha fica caçando as lagartixas do terraço, e tudo que bicho ela corre atrás, mosquito, baratinha, é ate engraçado, minha irmã pegou uns hamisters pra toma conta ate a amiga dela voltar de viagem, a minha cachorra ficou inquieta, ela babava pelos ratinhos, ‘tadinhos’ rs ficava vidrada na prateleira do alto!

Deixe aqui o teu comentário... Vou adorar! E muito obrigada pela tua gentil companhia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: